15 de Outubro de 2014

Report: notícias

o que diz o novo diretor executivo da GRI

“Eu conheço a GRI muito bem”, diz o novo diretor executivo da Global Reporting Initiative (GRI), o canadense Michael Meehan, no cargo desde julho deste ano. Com quase 20 anos de experiência como diretor executivo de sustentabilidade de diversas companhias e como empresário, ele participou de um webinar em setembro para apresentar as suas principais ideias.

Mostrando sinceridade, o novo diretor parece ter mais perguntas do que respostas. Depois de 12 anos sob o comando do holandês Ernst Ligteringen, período no qual a GRI teve papel fundamental na consolidação do entendimento e da comunicação da sustentabilidade nas empresas, a organização tem novos desafios. Como promover a inovação sustentável? Como criar relatórios mais legíveis? Como aumentar o alcance da GRI ao redor do mundo? Segundo Meehan, uma equipe está dedicada à busca dessas soluções. 

Outras ações necessárias são o esforço para influenciar as regulamentações e para fazer com que a qualidade dos relatórios aumente. 

A GRI deve também fazer a sua parte ao se engajar e colaborar com outras instituições. Nas palavras da Meehan, “sair da nossa bolha”. Qual bolha? O exemplo usado por ele é que sempre encontramos as mesmas pessoas nos eventos e que o desafio está em como trabalhar com outras diretrizes e outros parâmetros. “Nós não colaboramos como deveríamos”, diz, em mais uma demonstração de franqueza. E conclui: “Para que as peças da sustentabilidade possam ser colocadas juntas, é preciso mais transparência e cooperação”.

Atualmente, mais de 5 mil organizações utilizam as diretrizes GRI, em 23 países. Entre as maiores empresas do mundo, 95% delas estão preparando seus relatórios de sustentabilidade, das quais 82% utilizam a GRI.