8 de Junho de 2014

Report: notícias

comunidade SB ganha força no Brasil

Por Álvaro Almeida*

Reimagine o propósito dos negócios, como fez a Natura ao lançar sua Visão de Sustentabilidade 2050 no Sustainable Brands Rio 2014, com a proposta inovadora no Brasil de ir além da mitigação dos efeitos negativos de suas atividades e buscar impacto positivo econômico, social e ambiental em todas as suas frentes de atuação. Redesenhe os processos de produção, a exemplo do Pão de Açúcar, que criou o programa Novo de Novo para viabilizar sem custos adicionais a reciclagem de embalagens das marcas próprias. Regenere áreas degradadas da Mata Atlântica e, ao mesmo tempo, proporcione renda às comunidades indígenas por meio da produção de erva-mate, como tem feito a empresa argentina Guayaki. Inspirar pelo exemplo. Essa foi a tônica do SB Rio 2014, a segunda conferência no Brasil da rede global que reúne líderes atentos às transformações dos negócios por meio da inovação em sustentabilidade.

Primeiro dia do SB Rio 14, durante o debate sobre Intraempreendedorismo

O que faz dessa rede tão especial ao ponto de reunir cerca de 350 mil líderes de negócios ao redor do mundo? A abordagem positiva sobre o potencial das marcas para engajar pessoas e consequentemente recursos ao desafio de entregar um novo valor para a sociedade. E mais: a ambição de inspirar a partir de experiências concretas que estão transformando os negócios no Brasil e no Exterior. É o caso do jovem empreendedor Caio Bonatto, de 25 anos, que contou no SB Rio 2014 sua saga para convencer aos bancos a conceder crédito para suas casas sustentáveis, produzidas pelo processo construtivo de madeira pré-moldada. Sua insistência surtiu efeito e hoje ele parte para uma nova fábrica. Outro exemplo é a primeira planta da americana Solazyme no Brasil, que acaba de entrar em operação em Moema, interior de São Paulo, numa joint-venture com a Bunge, para a produção de óleos renováveis desenvolvidos a partir de algas. Uma solução tão inovadora que tanto pode ser aplicada como combustível de aviões, quanto fazer parte da formulação de sabonetes ou simplesmente fritar batatinhas.

Já estabelecida no Brasil, a rede Sustainable Brands se amplia com conferências em Buenos Aires, em setembro; e Kuala Lampur, na Malásia, em outubro. Por aqui, vêm aí um novo site para disponibilizar às empresas brasileiras todo o conteúdo gerado na rede SB e eventos menores temáticos ao longo do ano para proporcionar o encontro de especialistas e de gestores interessados em trocar experiências. Participe dessa poderosa rede. Afinal, o Sustainable Brands é o encontro do grande com o pequeno, do novo com o já estabelecido, do global com o local, da inspiração com a realização.

*Álvaro Almeida é sócio-diretor da Report

 
 
 
 
17 de Maio de 2014

Report: notícias

Relatório de Sustentabilidade do Timão

O Sport Club Corinthians Paulista acaba de lançar seu relatório de sustentabilidade 2013. Neste relato, um dos destaques é a Arena Corinthians – que certamente será um palco de muitas emoções nos próximos meses. São apresentadas informações sobre sua construção, financiamento e os benefícios que a sua existência trará para a zona leste de São Paulo.

Nesta quinta (15), a diretoria financeira do clube fez o lançamento oficial para a imprensa, no Centro de Treinamento Joaquim Grava, referência internacional e sede da seleção brasileira durante os jogos da Copa do Mundo 2014. Este é o sexto ano consecutivo que o Corinthinas publica seu relatório, um diferencial importante e inédito no mercado do futebol brasileiro. Mais uma vez, o trabalho foi executado em parceria com a Report, responsável pela apuração e edição de conteúdo. Para acessá-lo, clique aqui.

 
 
 
 
17 de Maio de 2014

Report: notícias

inscrições abertas para o Prêmio Aberje 2014

 
O Prêmio Aberje, o maior setorial de comunicação do Brasil, está em sua 40ª edição e já recebe inscrições. Desde 1967, quando iniciou com o nome Prêmio Aberje de Jornalismo Empresarial, o evento tem como objetivo reconhecer anualmente as empresas que se destacam no relacionamento com seus públicos estratégicos. 
 
Ao longo dos anos, o Prêmio buscou acompanhar as mudanças no mundo da comunicação corporativa e, em 2014, o traz mudanças que refletem a perspectiva e a visão estratégica que a comunicação organizacional deve ter. Os trabalhos premiados nas edições anteriores estão disponíveis para acesso no CMR - Centro de Memória e Referência. 
 
As inscrições - abertas até o dia 23 de junho - podem ser feitas pelo site: http://www.premioaberje.com.br/inscricao.asp. 
 
 
+ A Report pode apoiar sua empresa na construção e desenvolvimento do case para o Prêmio Aberje 2014! 
Entre em contato: [email protected] ou (11) 3246-3016.

 

 
 
 
 
13 de Maio de 2014

Report: notícias

evento DNV GL aborda métricas para gestão consciente da água

Quais são os benefícios do consumo consciente da água? Quais dificuldades podem ser evitadas com a utilização racional desse recurso fundamental, mas finito? Esse é o debate central do Water Footprint Network (WFT), evento conduzido pela DNV GL, em parceria com a Report Sustentabilidade e com apoio do CEBDS.

Entre os dias 27 e 29 de maio, o evento irá compartilhar conhecimento técnico para o cálculo da pegada hídrica. Para isso, o evento engloba um dia de seminário com debates sobre o tema e dois dias de curso técnico, com emissão de certificado de qualificação DNV GL.

27 de Maio - Seminário sobre Pegada Hídrica: para o público em geral, incluindo profissionais da sustentabilidade, gestores de companhias e consultores individuais, apresentará como avaliações de pegada hídrica contribuem com negócios. Abordará temas como cálculo de pegada hídrica; avaliação da sustentabilidade da água; avaliação de risco da água; e avaliação da cadeia de suprimentos.

28 e 29 de Maio - Curso de Formação de Avaliador em Pegada Hídrica: com definição de objetivos e escopo apropriados para o cálculo da pegada hídrica, utilizando a metodologia WFN; desenvolvimento de método para avaliar o impacto de suas operações e identificação dos riscos relacionados à água e impactos diretos e indiretos significantes e visualização de riscos potenciais e seus impactos baseados na localização de fornecedores-chaves e identificação de pontos críticos.

O investimento é de R$ 1.780,00 por participante (incluindo o certificado e os cafés durante os intervalos).

As inscrições podem ser feitas no site www.dnvba.com/br/Pages/Inscreva-se.aspx.

Mais informações: [email protected] ou +55 11 3305-3351

 
 
 
 
6 de Maio de 2014

Report: notícias

relatório de sustentabilidade latam 2013

O Grupo LATAM Airlines acaba de lançar seu primeiro Relatório de Sustentabilidade. O documento, em formato PDF navegável, pode ser acessado no site de relações com investidores e traz o desempenho socioambiental da líder no segmento de aviação civil da América Latina, responsável por 50% do tráfego aéreo da região. 
 
Constituído em 2012, com a associação das companhias LAN e TAM, o Grupo possui operações diretas em sete mercados latino-americanos e atua no transporte de passageiros e carga, além de oferecer serviços de turismo, manutenção de aeronaves e programas de pontuação. O Relatório de Sustentabilidade 2013 é o primeiro a trazer informações de desempenho integradas das duas companhias – que já publicavam relatos próprios, segundo a metodologia da Global Reporting Initiative (GRI). Além de produzir o conteúdo e design, a Report foi responsável pela condução do primeiro processo de materialidade integrado do Grupo, baseado na versão G4 das Diretrizes GRI, com etapas de consulta aos públicos interno e externo no Brasil (São Paulo) e Chile (Santiago). 
 
O relato tem versões em português, espanhol e inglês, de modo a atender às demandas de investidores internacionais, e foi divulgado ao público em reunião de acionistas na última terça-feira (29), no Chile, simultaneamente ao lançamento do Relatório Anual. Para comunicar seu conteúdo aos 52 mil funcionários e aos clientes, a Report produziu uma versão resumida, baseada nos nove temas materiais da companhia, impressa e disponibilizada para download em flipbook, também em três idiomas. Nesta segunda (5), a TAM divulgou o relatório ao público brasileiro em seu site institucional. Na página, podem ser acessadas as versões resumida e flipbook do relatório.
 
 
 
 
22 de Abril de 2014

Report: notícias

SB Rio traz reflexão sobre o papel das marcas na construção de um futuro sustentável

Reimagine. Um dos 50 melhores eventos em sustentabilidade do mundo, segundo o site Daily Muse, será realizado na próxima semana (dias 24 e 25 de abril), no Centro de Convenções da SulAmérica (CCSA), localizado no centro do Rio de Janeiro. Trata-se da SB Rio 2014, segunda edição carioca da conferência Sustainable Brands, organizada pela Report Sustentabilidade, em parceria com a Sustainable Life Media e uma ampla rede de apoiadores e patrocinadores brasileiros e estrangeiros. Voltada para a compreensão e o fortalecimento do papel da marca na construção de um futuro próspero, a conferência é composta de Plenárias, Exposição, Sessões temáticas, Sessões temáticas experienciais e pelo SB Innovation Open.

Redesenhe. Pela manhã, ocorrem palestras com apresentações de líderes empresariais e especialistas, nacionais e internacionais, com casos concretos em temas como a nova economia, novas métricas, economia circular, negócios sociais, engajamento, economia colaborativa e novas tecnologias. À tarde, as sessões temáticas e workshops seguem o tema da conferência deste ano: “Reimagine, Redesenhe, Regenere”. A cada dia, serão seis sessões, dois workshops e cerca de 60 palestrantes em mesas temáticas, com espaço para interação com o público. Para ver a programação completa ou se inscrever na SB Rio 2014, clique aqui

Regenere. Entre as novidades estão as Sessões Experienciais Temáticas e o SB Innovation Open. Na primeira, durante visitas às comunidades do Rio de Janeiro, empresas mostrarão casos concretos de transformação de problemas em oportunidades, de forma criativa e compartilhada. Serão visitados dois projetos: Light e Coral na comunidade Santa Marta e a Economia Criativa na Região Portuária. O Sustainable Brands Innovation Open será uma competição de start-ups que oferecem produtos e serviços que utilizam a sustentabilidade como direcionador da inovação. A edição brasileira é apresentada pela Apex-Brasil, agência brasileira de promoção de exportações e investimentos. A primeira semifinalista é a Brastax, escolhida em votação pelo público. Outras nove serão escolhidas pelo júri da competição. Os prêmios da audiência e do júri especial incluem recursos financeiros e apoio de consultorias. A vencedora receberá R$ 10 mil, além do valor arrecadado pela campanha “1 like = R$ 1,00”. A cada nova curtida na fanpage (facebook.com/SustainableBrandsRio), um real será doado para a start-up ganhadora.

+ Leia o blog oficial e saiba mais sobre o que vai rolar na SB Rio 2014.

 
 
 
 
22 de Abril de 2014

Report: notícias

parceria report e DNV GL

A report sustentabilidade e a DNV GL acabam de fechar uma parceria com o objetivo de atuar de maneira complementar no mercado brasileiro. A atuação conjunta das duas empresas, que envolve suas áreas técnicas e de negócios, vai oferecer aos clientes o one stop shop, ou seja, o atendimento de todas as necessidades corporativas relacionadas à sustentabilidade. A parceria não envolve compra, venda ou troca de ações, mas de uma parceria estratégica.

A report oferece a "consultoria corporativa", ou seja, apoia o cliente na inserção da sustentabilidade nos negócios via plano estratégico de sustentabilidade, realização dos processos de materialidade, relato, engajamento de stakeholders, além de outros produtos relacionados. Já a DNV GL oferece serviços de "sustentabilidade operacional", que são aqueles voltados para garantir a eficiência das operações de saúde, segurança, meio ambiente, carbono, qualidade, água e treinamentos, entre muitos outros. 

Sobre as empresas

A report sustentabilidade foi fundada em 2002, tem uma equipe de 65 profissionais nos escritórios de São Paulo e no Rio de Janeiro e com representantes no Centro-Oeste, no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Atua exclusivamente com sustentabilidade nas frentes de comunicação, consultoria e conhecimento. Seu faturamento anual é de cerca de 12 milhões de reais.

A DNV é uma fundação criada em 1864, na Noruega, e que, em 2013, adquiriu a empresa GL, se tornando DNV GL. Hoje, a DNV GL está presente em 300 escritórios em 100 países e têm 17 mil funcionários. Seu faturamento anual é de 2,6 bilhões de euros. É líder mundial em gerenciamento de riscos, por meio de certificação, verificação, avaliação, consultoria e treinamento, além de atuar nos setores de alimentos e bebidas, transporte, TI, saúde, finanças, automotivo, construção civil, óleo e gás, marítimo e energia. Também oferece serviços relacionados aos temas de qualidade, meio ambiente, saúde e segurança do trabalho, responsabilidade social, segurança da informação, segurança de alimentos, gestão da cadeia de fornecimento, entre outros.

 
 
 
 
18 de Abril de 2014

Report: notícias

concentração da riqueza na mão de poucos preocupa

Assunto foi um dos temas centrais de relatório do Fórum Econômico Mundial

A desigualdade na distribuição global da riqueza não chega a ser uma novidade. Ainda assim, é chocante constatar o tamanho exato da disparidade: o 1% mais rico da população mundial detém o equivalente a toda a riqueza possuída pelos 50% mais pobres. Ou seja, 3,5 bilhões de pessoas. A constatação desse desequilíbrio e o que fazer para diminui-lo estão entre os temas centrais do último relatório do Fórum Econômico Mundial, que se reuniu em Davos, Suíça, em janeiro.

Com o título “A reformatação do mundo: consequências para a sociedade, para a política e para os negócios”, o documento, disponível em inglês, resume os debates conduzidos no encontro do FEM, que contou com a participação de líderes políticos de mais de cem países e representantes de 2.500 empresas. O assunto também será discutido no contexto da promoção de negócios socialmente justos, que colaborem para a redução dessas desigualdades, durante a SB Rio 2014.

Como descrito na publicação do Fórum, "não é suficiente que as economias apenas cresçam; esse crescimento precisa ser inclusivo e considerar as disparidades de renda, idade, gênero, habilidades, acesso à tecnologia e a oportunidades". Formas de reduzir a desigualdade foram debatidas em vários encontros durante o Fórum. Uma pesquisa feita junto a cerca de 1.500 especialistas ligados ao FEM, publicada no relatório “Outlook on the Global Agenda 2014”, identificou a crescente disparidade na renda e o desemprego entre as principais preocupações dos líderes mundiais em 2014.

"A concentração de riqueza e poder exclui e prejudica milhões de pessoas, e isso eleva a insegurança e a instabilidade", afirmou Winnie Byanyima, diretora executiva da Oxfam International, no encontro do Fórum. Segundo Byanyima, é preciso políticas e regulações para proteger os direitos humanos e o meio ambiente, e reduzir a pobreza. "A concentração de renda ainda é um dos grandes problemas do desenvolvimento. A geração de valor compartilhado é o grande tema para as empresas globais neste momento. E isso inclui um crescimento econômico que abarque questões sociais: saúde, segurança, transparência na gestão, distribuição de renda", diz Álvaro Almeida, diretor de planejamento da Report e um dos anfitriões da SB Rio 2014. Para ele, vivemos um período de transição no conceito de desenvolvimento sustentável, refletindo os movimentos recentes da sociedade: “Vemos uma migração no campo da sustentabilidade corporativa. A grande preocupação, num passado recente, era com o meio ambiente, o que rendeu bons avanços na gestão ambiental nas grandes empresas. Mas com isso, os temas sociais ficaram para trás.” 

Os participantes do FEM elegeram três prioridades na busca por um mundo menos desigual: a criação de empregos (em especial para os mais jovens), a promoção da sustentabilidade e a instituição de mecanismos que protejam o sistema econômico contra crises globais como a deflagrada em 2007/2008. A expansão de projetos de infraestrutura, o incentivo às pequenas e médias empresas e um maior investimento em áreas como a educação e a inovação tecnológica foram apontados como exemplos de ações que precisam ser tomadas em escala internacional, num esforço coordenado entre governos e a iniciativa privada. “São maneiras de alinhar o mundo dos negócios ao espírito de nosso tempo”, acredita Almeida.

 
 
 
 
17 de Abril de 2014

Report: notícias

relatório da Natura foca em GRI G4 e relato integrado

A Natura lançou o relatório 2013 com produção focada nos novos parâmetros para o relato: a quarta geração das diretrizes GRI (G4) e o relato integrado proposto pelo IIRC (International Integrated Reporting Council).

Como evolução do seu processo, a empresa apostou na web como principal meio na estratégia de divulgação de resultados, motivada pelo seu alcance, acessibilidade e pelo impacto ambiental reduzido. O site (www.natura.net/relatorio) reúne o conteúdo completo do relato, oferece novas funcionalidades como infográficos animados, conexão com as redes sociais e vídeos que complementam as informações. O site também está adaptado para a leitura em qualquer dispositivo móvel, como celulares e tablets.

Conteúdo de valor

Na apresentação do seu modelo de negócios, a Natura descreve de forma objetiva os principais recursos utilizados pela empresa, seus diferenciais de atuação e o valor efetivamente gerado nos aspectos econômico, social e ambiental – tanto positivo quanto negativo. A empresa também apresentou, pela primeira vez, as diretrizes da sua Visão de Sustentabilidade e estabeleceu ambições para serem alcançadas até 2020.

A Natura mantém uma prática de divulgação unificada, em que todas as peças estão alinhadas e se complementam. O processo tem início com o Relatório de Administração, lançado nesse ano em 12 de fevereiro, e se complementa com o relatório anual nas versões resumida (impressa), web e completo (PDF com o relato completo dos indicadores GRI, disponível no site).

Pioneirismo no relato

Pioneira na aplicação das diretrizes GRI na América Latina – seu primeiro relatório foi publicado em 2001 –, a Natura também migrou rapidamente para a nova versão, a G4, no modo abrangente. Isso significa que responde a todos os indicadores GRI relevantes para a sua gestão e operação – mais de 70 – além de indicadores próprios.

A partir de 2013, também busca uma abordagem mais integrada das informações financeiras e não-financeiras. Como integrante do IIRC, grupo internacional que desenvolveu um novo padrão de relato, a Natura está incorporando seus princípios orientadores, tais como: relato mais sucinto, apresentação objetiva do seu modelo de negócios, publicação de resultados econômicos, sociais e ambientais.

O desafio do relato integrado está apenas iniciando e orienta as empresas a mudarem seu mindset, incluindo ajustes em sua gestão e apresentação de uma visão mais completa de seu desempenho, indo além da publicação de informação de curto prazo e essencialmente econômicas.

O conteúdo de todas as publicações e o projeto editorial do site foram desenvolvidos pela Report, assim como a coleta e análise dos indicadores e a adaptação do processo de materialidade.

+ Para saber mais sobre a GRI G4, clique aqui

+ Para mais informações sobre relato integrado, clique aqui

 

 

 
 
 
 
17 de Abril de 2014

Report: notícias

sai o bom marketing, entra o bom negócio

Propósito adicional ao lucro é o tema da palestra de Gonzalo Muñoz na SB Rio 2014, um dos fundadores do Sistema B na América Latina. Em entrevista para o blog da Report, o executivo reforça a ideia de que o lucro não é mais sustentável quando considerado, isoladamente, uma maneira de alcançar o sucesso do negócio. “É preciso considerar também os outros dois Ps – pessoas e planeta – na forma de mensurar resultados”, afirma.

Report: Qual é a ideia central do propósito adicional ao lucro?

Gonzalo Muñoz: Nossa ideia é mostrar que um dos “pês” [do conceito tripple bottom line], o de “profits” (lucro), não é mais sustentável quando considerado, isoladamente, uma maneira de alcançar o sucesso do negócio. Precisamos ter empresas, públicos, membros da direção e executivos que considerem também os outros dois “pês” (pessoas e planeta) em sua forma de mensurar resultados. Além disso, precisamos ensinar e aprender como considerar o tripple bottom line como uma maneira própria de fazer negócios.

Report: E como o movimento Sistema B ajuda a reforçar o entendimento desse propósito nas empresas?

Muñoz: Trabalhamos com pessoas que lideram as empresas e oferecemos a eles diferentes ferramentas que permitem a inclusão dos colaboradores em todo o processo. Consideramos que incluir todos os stakeholders da companhia é totalmente relevante para incrementar o impacto do movimento. Esperamos que, em breve, todos possam conhecer e apreciar as Empresas B como as que possuem a melhor forma de fazer negócios.

Report: Qual a conexão do Sistema B com a SB Rio 2014 e quais as suas expectativas para o evento?

Muñoz: Acreditamos que, num futuro próximo, grande parte das Empresas B serão as marcas mais fortes no mercado em termos de credibilidade, comparadas às empresas não certificadas. A razão disso é que, quando falamos em sustentabilidade, precisamos considerar a importância de sair do ponto de vista da comunicação da sustentabilidade apenas para começar a incluir os conceitos dentro do arcabouço legal e permitir que as práticas sejam certificadas por uma terceira parte. Esses aspectos - a missão da empresa, seu arcabouço legal e sua transparência - fazem uma grande diferença quando falamos de sustentabilidade nas companhias e marcas. Eu espero que a SB Rio 2014 aponte caminhos para sair do bom marketing e chegar aos bons negócios, negócios do bem.

 
 
 
 

Pages

Subscribe to Blog