10 de Dezembro de 2018

Report: notícias

Pesquisa destaca integração dos ODS ao mundo dos negócios

Desenvolvido em parceria com a Report, estudo avalia práticas de 142 empresas da Rede Brasil do Pacto Global

 

Lançados em 2015 pelas Nações Unidas, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) têm se consolidado como uma agenda pragmática para mobilizar entes públicos e setor privado em torno de desafios sociais, econômicos e ambientais de nosso tempo. Em apoio à jornada de empresas brasileiras para se conectar a esse movimento, a Rede Brasil do Pacto Global, o Capítulo Brasileiro dos Princípios para Educação Empresarial Responsável (Prime), o Núcleo de Estudos em Meio Ambiente e Centros Urbanos do Insper, a Report, a DNV GL e a Lead Comunicação lançaram o estudo “Integração dos ODS na estratégia empresarial: contribuições da Rede Brasil do Pacto Global para a Agenda 2030”.

A publicação foi divulgada durante o Sustainable Brands, conferência internacional cuja edição brasileira ocorreu em São Paulo, no Pavilhão das Culturas Brasileiras, Parque do Ibirapuera, na última semana. O conteúdo reúne indicadores mapeados em um levantamento com mais de 140 empresas da Rede Brasil do Pacto Global, estudos de caso e explicações conceituais das premissas da Agenda 2030.

Apesar da linguagem intuitiva e da fácil conexão com o dia a dia, os 17 ODS são complexos e não necessariamente se aplicam à rotina de qualquer organização: deles, desdobram-se 169 metas que incluem práticas voltadas à economia circular, ao aumento de representatividade feminina, a modelos disruptivos de gestão de recursos naturais e a mudanças no modo como empresas pensam e fazem negócios.

“Os ODS se apresentam como uma descomunal oportunidade de negócios para que as empresas lucrem ao mesmo tempo em que ajudam a resolver os grandes problemas da sociedade”, diz Estevam Pereira, sócio fundador do Grupo Report. 
 

Além dessa publicação, a Report e a DNV já haviam trabalhado com a Rede Brasil do Pacto Global no estudo “Integração dos ODS na Estratégia Empresarial – Uma Contribuição do Comitê Brasileiro do Pacto Global para a Agenda 2030”, publicado em 2017 com um primeiro retrato da conexão entre estratégias corporativas e os ODS.

Método e resultados

A pesquisa “Integração dos ODS na estratégia empresarial” teve coordenação da professora Priscila Borin Claro, líder do Núcleo de Estudos em Meio Ambiente e Centros Urbanos do Insper e co-chair do Capítulo Brasileiro dos Princípios para Educação Empresarial Responsável.

No total, foram 142 empresas participantes, de um total de 531 signatárias do Pacto Global no Brasil. Os dados demonstram evolução nos últimos três anos: 51,25% das empresas declararam ter compromissos públicos ligados aos ODS. As razões para isso estão essencialmente ligadas à reputação: o código de ética (53%), a imagem atrelada à sustentabilidade (43%) e o cumprimento de leis (38%) são os impulsos citados para aderir aos ODS.

No quesito priorização – ou seja, escolher ODS mais importantes para incorporar à estratégia –, apenas 16% das empresas afirmaram ter escolhido ODS críticos por conta de impactos negativos. Os interesses de donos e acionistas, os impactos positivos e até a visão de clientes vêm antes desse quesito à hora de escolher a qual ODS dar mais atenção.

Outro dado desafiador é que quase 80% das organizações ainda não adotam os ODS como critérios de remuneração variável – ou seja, contribuir ou não para a Agenda 2030 ainda não pesa no bolso da maioria dos líderes de corporações.

Iniciativas de destaque

Além dos resultados mapeados na consulta direta às empresas da Rede Brasil, a pesquisa tem uma parte qualitativa, com quatro estudos de caso que demonstram o esforço do setor privado em criar aderência entre o negócio e os ODS.

Os cases abordam parcerias para promover a arborização segura nas cidades, o alinhamento entre os ODS e pilares estratégicos, ações de empoderamento feminino e a gestão de reservas florestais com geração de negócios em ecoturismo. “Os projetos são sinais de que estamos em um momento de transição. Os ODS ajudarão cada vez mais as empresas a captar negócios, aumentar seu valor de mercado e planejar ações com contribuição real e mensurável para a Agenda 2030”, diz Gilberto Longo, sócio diretor da Report.