19 de Junho de 2015

Report: notícias

mobilidade corporativa é tema de workshop em SP

 

 

Atualmente, um dos maiores problemas enfrentados pela sociedade é a mobilidade urbana, que impacta diariamente milhões de pessoas nas grandes cidades de todo o mundo. O trânsito e a superlotação nos transportes públicos são considerados as principais causas de estresse entre as pessoas que precisam se deslocar e fazer trajetos mais longos até o trabalho.

O tema se torna um problema também para as empresas, que veem a qualidade de vida dos seus colaboradores ser afetada e o tempo e custos com deslocamentos aumentarem, gerando atrasos e impactando a produtividade.

A Report Sustentabilidade acredita que a mobilidade é um dos temas mais importantes para as organizações que buscam melhorar seu desempenho, atentas às questões da sustentabilidade. Para refletir sobre a importância da gestão da mobilidade corporativa, reuniremos empresas e especialistas para trocar experiências que possam contribuir para a discussão dos principais riscos e oportunidades voltados ao tema.

A primeira rodada de conversas aconteceu no Rio de Janeiro, em maio. Agora, é a vez de São Paulo receber o evento, no próximo dia 7 de julho.

Durante o Workshop, a Report apresentará uma metodologia que busca aprimorar a gestão da mobilidade corporativa, além de promover um debate sobre as iniciativas empresariais que podem contribuir para a redução de impactos socioambientais e trazer alternativas para a melhoria na qualidade de vida dos colaboradores.

+ workshop de mobilidade

data: 07/07/2015

horário: 9h00 às 12h30

local: report sustentabilidade - av. brig. luiz antônio, 3530 - jd. paulista - são paulo (mezanino)

inscrições: http://relatoweb.com.br/pesquisa/pt-br/node/89/

 
 
 
 
1 de Junho de 2015

Report: notícias

relatório inpEV 2014 no ar

O Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV), responsável por coordenar a correta destinação de embalagens vazias pós-consumo de defensivos agrícolas no Brasil, lança seu relatório de sustentabilidade (PDF e site) com os destaques de seu desempenho econômico, ambiental e social, prestando contas aos principais públicos de relacionamento.

O relato foi desenvolvido de acordo com as diretrizes GRI G4 e traz a dinâmica de funcionamento do inpEV, que gere e integra o Sistema Campo Limpo, trabalhando em uma grande rede cujo objetivo é transformar em realidade um modelo de logística reversa. Para isso, destaca a execução da estratégia, o foco em eficiência e qualidade, e o forte relacionamento com outros agentes – produtores rurais, fabricantes, canais de distribuição e governo.

A Report Sustentabilidade foi responsável pela Materialidade, consultoria GRI, conteúdo e design.

 
 
 
 
27 de Maio de 2015

Report: notícias

temporada de prêmios em alta: inscrições abertas para ECO e Aberje

Passado o turbilhão dos lançamentos de relatórios anuais, a temporada de premiações de comunicação e responsabilidade socioambiental está a todo vapor. Atualmente, estão abertas as inscrições para dois importantes reconhecimentos da área: o prêmio Aberje, da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial, com inscrições até 18/6; e o prêmio ECO, promovido pela Câmara Americana do Comércio (Amcham) de São Paulo, que recebe cases de projetos para avaliação até 22/7.

  

Realizado desde 1982, o ECO se tornou um dos principais instrumentos de reconhecimento de boas práticas sociais, ambientais e de governança para as empresas brasileiras e multinacionais. Ao longo de 33 anos, mais de 2 mil companhias inscreveram 2.563 projetos, 225 deles premiados. Em 2015, os participantes podem submeter projetos nas modalidades Estratégia, Liderança e Inovação (Elis) e Práticas de Sustentabilidade, tendo esta última duas subcategorias (Sustentabilidade em Processos e Sustentabilidade em Produtos e Serviços).

Já o Prêmio Aberje, considerado um dos mais importantes prêmios setoriais da área da comunicação, oferece 18 categorias dentro de duas áreas: Gestão de Comunicação e Relacionamento; e Mídias. Este ano, uma nova categoria entra em cena: Comunicação e Relacionamento com Organizações Governamentais.

Com uma equipe estruturada com expertise em consultoria para premiações, a Report apoia desde 2009 seus clientes e parceiros na elaboração de cases, questionários e materiais de comunicação, para inscrição nesses e em outros prêmios de relevância do mercado – como Melhores Empresas para Você Trabalhar (Você S/A), Melhores Empresas para Trabalhar (Great Place to Work), Guia Exame de Sustentabilidade, Social Innovation Awards, E-Finance, Prêmio Época Empresa Verde, Valor Carreira, Prêmio Brasil Ambiental e Latin Finance.

Em seis anos, foram produzidos cerca de 240 cases para 20 organizações, muitos deles vencedores; é o caso da AES Eletropaulo, vencedora da 31ª edição do Prêmio ECO (2013-2014); e da Natura e do Santander, que se destacaram nas categorias Campanhas de Comunicação de Marketing, Mídia Digital e Mídia Impressa (Natura) e Mídias Sociais (Santander), no Aberje (2012).

Além de projetos sob demanda, a Report também oferece o serviço de consultoria permanente ao longo da temporada, com apoio regular à comunicação das melhores práticas desenvolvidas dentro de seus clientes.

+ Para conhecer nossos serviços de produção de conteúdo e consultoria em prêmios, entre em contato! Envie um e-mail para [email protected] ou ligue para (11) 3246-3016.

 
 
 
 
26 de Maio de 2015

Report: notícias

discussões sobre materialidade marcam o mês

A report participou, na sexta-feira (22), do evento "Materialidade em Foco", realizado pela frente brasileira da Global Reporting Initiative (GRI) no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro.

Na ocasião, foram apresentadas a metodologia de definição da materialidade, os principais desafios e oportunidades das empresas para elencar os temas mais relevantes do seu negócio e orientações sobre como geri-los de maneira eficiente e adequada. Os cases de destaque foram do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), a primeira ONG da América Latina a produzir um relatório de sustentabilidade de acordo com a metodologia GRI; e do Itaú Unibanco, que suscitou debates sobre o processo interno de materialidade realizado pelo banco, um dos pioneiros nos relatos de sustentabilidade e integrado.

Glaucia Térreo, representante da GRI no Brasil, reforça que eventos como esse são fundamentais para explicar conceitos relacionados ao universo de relatórios, como a materialidade.  Além disso, as trocas entre empresas do eixo Rio de Janeiro - São Paulo geram mais experiência e conhecimento aos participantes.

Workshop traz tendências, novo estudo e temas críticos

Na manhã de terça feira (26), representantes de 15 empresas estiveram presentes na sede da Report, em São Paulo, para se atualizar sobre tendências e conhecer como a materialidade pode ajudar organizações a se conectar com práticas da nova economia e alcançar transformações nos negócios.

Para isso, foi realizada uma oficina que propôs debates sobre quatro grandes temas: Lei de Terceirização, Mudanças climáticas, Política Nacional de Resíduos Sólidos e Crise hídrica. O exercício identificou riscos e oportunidades em cada um dos temas, pensando em públicos de setores específicos sugeridos pela report.

Além da reflexão proporcionada pelo exercício, consultores da Report apresentaram o terceiro estudo publicado sobre o tema, “Materialidade no Brasil: o Impacto das Diretrizes G4 e de Relato Integrado”, que analisa o impacto da versão G4 das diretrizes de relato da GRI e do movimento de Relato Integrado sobre as práticas de organizações líderes do País.

 
 
 
 
19 de Maio de 2015

Report: notícias

melhores práticas e desafios para setor da construção civil

Foi realizado, nesta terça-feira (19/5), o lançamento do estudo Impactos socioambientais do setor da construção civil [segmento imobiliário], contando com a participação de representantes de 24 empresas do setor de construção civil, ONGs, consultores e outras atividades produtivas.

Iniciando os debates da manhã, Camila Lourencini, gerente de estratégia da indústria da construção para América do Sul da BASF, apresentou algumas inovações da empresa para contribuir com a sustentabilidade em diversos segmentos da construção civil: soluções para gerar conforto térmico, acústico, redução no consumo de água, maior durabilidade e produtividade. As alternativas estão em exposição na CASA E, uma vitrine viva que a BASF mantém aberta para visitação em São Paulo, recém-certificada com o selo Leed Gold.


Camila Lourencini apresenta a CASA E, da BASF

Em seguida, foram apresentados os destaques do estudo, que mapeou os principais impactos socioambientais do setor com base no Suplemento setorial da GRI (Global Reporting Initiative) - “Sustainability Reporting Guidelines & Construction and Real Estate Sector Supplement”, e no Programa Construção Sustentável, desenvolvido pela CBIC. Os impactos foram também mapeados ao longo da cadeia das empresas do setor, e gerou-se o seguinte quadro abaixo:

A partir dos 13 principais impactos mapeados, foram levantadas as principais questões socioambientais da constru­ção civil (segmento imobiliário) que ainda re­presentam um real desafio para o segmento. Foram reunidas ainda as práticas divulgadas por 20 empresas* que participaram do estudo, iniciativas que podem servir de inspiração para outras organizações.

“Esperamos que esse estudo possa servir como insumo para empresas e consultores pautarem o desenvolvimento de estratégias de sustentabilidade corporativa que ajudem na gestão dos impactos e na busca pela liderança no setor”, afirma Carla Stoicov, sócia da Tistu, que aponta a transparência como um grande gargalo ainda existente na construção civil.



Carla Stoicov, da Tistu, apresenta o estudo realizado em parceria com a Report  


Thais Fantazia, da Report, apresenta o case MRV 

Case MRV

Thais Fantazia, consultora da report no projeto desenvolvido junto à construtora MRV, apresentou os primeiros resultados do planejamento estratégico, trabalho que utilizou como ferramentas o estudo da construção civil e o processo de materialidade realizado na empresa. Liderada pela presidência da MRV, a iniciativa deu origem a cinco diretrizes estratégicas e uma de apoio à construção de um sistema de gestão unificado, insumos que nortearão a gestão interna na empresa a ser implementada por meio de Grupos de Trabalho =(GTs) já estabelecidos. A MRV foi patrocinadora do estudo lançado.

+ Faça o download do estudo completo!

*As empresas participantes do estudo são: Bairro Novo (Odebrecht), Brookfield, Bueno Netto, Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário – CCDI, Cury (joint venture Cyrela), Cyrela, EMCCamp, Even, Eztec, Gafisa, Grupo Via, HF Engenharia, Living Construtora (do Grupo Cyrela), Moura Dubeux, MRV, PDG Realty, Plaenge, Queiroz Galvão, Tecnisa e WTorre.

 
 
 
 
19 de Maio de 2015

Report: notícias

evento internacional aborda SST e gestão de riscos como fatores chave de negócio

Será realizado no dia 11 de agosto, no Maksoud Plaza, em São Paulo, o OHS International 2015, evento voltado para lideranças de saúde, segurança do trabalho, qualidade e meio ambiente, além de profissionais de sustentabilidade, representantes de grupos de investimentos e gestores de riscos.

O objetivo é debater sobre contexto de SST e segurança de processos como parte da estratégia de negócio das organizações e retornos financeiros de programas destas áreas, contando com a participação de profissionais que lideram programas de excelência em abordagens de SST e segurança de processos e seus cases de sucesso.

Frente ao atual contexto de negócios no Brasil, as projeções de recessão e desinvestimento para 2015, além do cenário internacional, como a crise na área de óleo e gás, a eficiência e eficácia produtivas são fundamentais para a alavancagem do desempenho empresarial. Isso engloba a mitigação e a prevenção de acidentes na produção, controle de perdas, reduções de passivos e gestão de riscos.

Além do networking, o OHS International 2015 possibilita a troca de conhecimentos e oportunidade de colaborações técnicas entre os participantes.

Programação

  • 8h Credenciamento
  • 8h15 Welcome
  • 9h Abertura - Roberto Bazin e Mauro Tavares (DNV GL)
  • 9h30 Estruturação de Programa de Segurança e RoSI (Return on Safety Investments) - Marcos Morgado ALL (América Latina Logística)
  • 10h15 Break
  • 10h45 Aprendizado com os eventos como fator direcionador da gestão de riscos em segurança - Walmir Guerra (Odebrecht Infraestrutura)
  • 11h20 Comunicação efetiva para mudança de cultura em SST - Hemerson Braga (Santos Brasil)
  • 11h55 Excelência em segurança através da gestão e controle por indicadores - Antonio Carlos de Oliveira (Consórcio Construtor Belo Monte)
  • 12h30 Almoço
  • 14h Programas de segurança comportamental em contextos específicos - Pedro Caetano (Sonangol - a confirmar) e Caroline Passuello (DNV GL)
  • 14h45 Segurança de processo - Robin Pitblado (DNV GL)
  • 15h30 Round table: É possível alcançar o ACIDENTE ZERO? - Jaime Lima (DNV GL), Américo Diniz C. Neto (Braskem), Mauro Tavares (DNV GL), Telmo Dos Santos (Unitel), José Lopes Alves (DNV GL), Robin Pitblado (DNV GL)
  • 17h Encerramento

 

O evento é uma realização da DNV-GL, com apoio da Abratex, Abrisco, Abiquim, Suatrans Cotec, AASSO, Cebds, Klabin e Report Sustentabilidade.

 

+ Informações e inscrições

http://www.ohs2015.com.br/

Investimento: R$ 650,00

20% de desconto para empresas associadas as entidades apoiadoras: ABIQUIM, ABRATEC, ABRISCO e CEBDS.

10% de desconto para a compra de 02 (duas) ou mais inscrições.

 

 
 
 
 
18 de Maio de 2015

Report: notícias

canto pela diversidade

 
 

Por Rúbia Piancastelli*

Hoje, dia 18 de maio, Dia Nacional da Luta Antimanicomial**, conto neste breve artigo a história do Coral Cênico Cidadãos Cantantes e alguns de seus membros que, por meio da música e da expressão corporal, buscam a promoção da diversidade e a inserção em uma sociedade que ainda enfrenta difíceis barreiras para chegar ao pleno exercício da igualdade


(foto-divulgação na página do grupo no Facebook)

Há cerca de um mês, aceitei o convite do meu amigo Vitor Paulino de Souza Júnior (de camisa branca na foto acima) para acompanhar o ensaio do grupo do qual participa – o Coral Cênico Cidadãos Cantantes. O coral surgiu das atividades dos Centros de Convivência e Cooperativa da Secretaria de Saúde do Município de São Paulo, com apoio da Associação SOS Saúde Mental, Ecologia e Cultura, e se reúne, há mais de 20 anos, em ensaios abertos semanais realizados em espaços culturais públicos de São Paulo (Centro Cultural São Paulo, de 1992-2005, e a Galeria Olido, de 2006 até hoje). Como pano de fundo para o coral, além da diversidade que pulsa no centro da capital paulistana, está o Movimento Antimanicomial, a promoção da saúde mental e da qualidade de vida por meio da arte.

Lá estava eu, na Galeria Olido, junto de uma dezena de coralistas e, dentre eles, misturavam-se interessados em arte e portadores de dificuldades mentais e outras associadas à saúde. Posso definir o encontro como uma explosão de criatividade, diversidade e de sentimentos. Cada um ali presente, com sua história, era um ponto em uma rede que compartilha o objetivo de desenvolver o potencial criativo e de transformação (interna e externa) por meio da música, com atividades de canto e dança orientadas pelo fisioterapeuta Osniel Venâncio e o maestro Julio Cezar Maluf.

“A grande missão dos Cidadãos Cantantes é a de ser provocador de encontros criativos na diversidade, de ser catador de cantos improváveis. Mas, sobretudo, almeja inscrever no imaginário popular que a cultura faz bem e é essencial à vida e deveria fazer parte da cesta básica do cidadão”, afirma Cris Lopes, psicóloga sanitarista e idealizadora do grupo, também presente nos encontros.

Cantei e conversei com homens e mulheres, alguns mais jovens e outros experientes, e cada um compartilhou um pouco da sua história, além de um grande amor pela música. Isidro Lopes, ex-militante ambiental, relatou um pouco de sua vivência e aprendizado: “Minha experiência no Coral é algo profundamente humano e de relacionamento comigo e com o outro. Tenho contato com pessoas que apresentam diversas dificuldades de saúde, exclusão social, dependência química e, convivendo e cantando com elas, tive a oportunidade de aprender a amá-las e ver a mim mesmo como um ser humano. No mundo competitivo em que vivemos o que vale é a força, a vitória, mas, no Cidadãos Cantantes, encontro uma ilha de amorosidade”. Essa ilha acolhe Isidro, Vitor, Ana Maria, Osniel, Reginaldo, Sergio, Cris, Wesley, Cláudia e Maicon, Cleuby, Ivi, Alice, Bárbara, João e outros que não tive a oportunidade de conhecer.

O grupo é aberto a todas as pessoas e o pré-requisito é o gosto pela arte e pelo encontro com o outro. “Nosso compromisso é com a heterogeneidade e, sobretudo, com as pessoas em vulnerabilidade social e de saúde, pra que se sintam chamadas a realizarem encontros na diversidade e possam cutucar e se sentirem cutucadas em seus preconceitos, temores, sonhos adormecidos, desejos abafados”, resume Cris.


Registros da minha visita ao Coral Cênico Cidadãos Cantantes, no centro de SP

Uma história de luta

Meu amigo Vitor Júnior - mais conhecido como Vitão, nasceu em 1973 e hoje mora em companhia de sua avó de 84 anos, Olga dos Santos Almeida. Em 1991, logo após completar 18 anos, sofreu um grave acidente automobilístico, enquanto trabalhava para a empresa McDonald’s. Após um coma de 20 dias, Vitor acordou e começou uma nova etapa da vida cheia de lutas: desde a difícil reabilitação física devido ao trauma de crânio encefálico que sofreu, até o combate à dor e o preconceito, que vive diariamente.

“As pessoas me veem andando por aí pensando que estou alcoolizado ou drogado, por causa das sequelas e dos coágulos que me fazem tremer e falar diferente. Também pensam que vou assaltá-las, porque sou negro. Mas há pessoas que acreditam em nosso potencial, e eu encontrei um lugar onde pude ter esperança. Pude me tornar um ator e músico e fazer o curso de comunicação para radialistas. Pude ser visto com outros olhos. Encontrei uma nova família”, conta Vitor, que em 2001, encontrou o grupo Cidadãos Cantantes. Vitor canta e atua, estuda informática e está no último ano do curso de libras. Continua com seu tratamento na Unidade Básica de Saúde na Rua Humaitá, Bela Vista.

Agenda

(vale a pena ir ao ensaio às quartas-feiras, das 10h às 13h, na sala Vitrine da Galeria Olido-SP)

 

+ Assista a um dos vídeos do Coral: Apresentação no CCSP

 

*Rúbia Piancastelli faz parte da equipe de Conteúdo da report, estuda piano e gostaria de voltar a cantar em um coral

**A data 18/05 remete ao Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, ocorrido em 1987, na cidade de Bauru (São Paulo), que por sua vez é um movimento ligado à Reforma Sanitária Brasileira, da qual resultou a criação do Sistema Único de Saúde (SUS). Um dos processos derivados do movimento foi a Reforma Psiquiátrica, definida pela Lei 10216 de 2001 (Lei Paulo Delgado). A partir deste marco o modelo de Atenção à Saúde Mental foi reformulado, transferido o foco do tratamento que se concentrava na instituição hospitalar para uma Rede de Atenção Psicossocial, estruturada em unidades abertas de serviços comunitários.

 

 

 
 
 
 
 
12 de Maio de 2015

Report: notícias

workshop debate comunicação integrada

Há anos, os relatórios anuais são divididos, basicamente, em dois universos: desempenho econômico-financeiro e socioambiental. Para uma evolução na comunicação de resultados, a integração das informações em torno de um único modelo de pensamento se tornou indispensável.

Neste contexto, surge o Relato Integrado, que prevê que as companhias conectem seus seis capitais – humano, financeiro, intelectual, manufaturado, natural e social e de relacionamento.

Para entender melhor de que maneira as companhias têm adotado o processo e explorar os desafios para a sua implementação, a Revista Capital Aberto realiza o workshop "Relato Integrado: uma nova abordagem de comunicação com o investidor".

O evento acontece no dia 19 de maio e conta com a presença de Rogério Andrade, da KPMG, e Sandra Guerra, do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), que trarão um panorama sobre Relato Integrado no Brasil e as discussões internacionais sobre o tema. A programação ainda conta com Denise Nogueira, do Itaú, que relata a experiência da empresa com a produção de um relatório integrado.

Para finalizar, o workshop abre espaço para o debate: “O relato integrado vai emplacar no Brasil?”. Para mais informações sobre os valores e inscrições, envie um e-mail para [email protected]. Os clientes Report têm 15% de desconto.

 

Workshop Capital Aberto

Data: 19/5/2015

Horário: 08h às 12h

Local: A definir

Informações: [email protected] ou (11) 3775-1610

 
 
 
 
11 de Maio de 2015

Report: notícias

lançamento: impactos socioambientais da construção civil

Elaborado por consultores da Tistu Desenvolvimento Social e Organizacional e da report sustentabilidade, com patrocínio da MRV e apoio do CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), o estudo Impactos socioambientais do setor da construção civil [segmento imobiliário], será lançado no dia 19/5, terça-feira, a partir das 9h, em São Paulo.

Programação:

9h - Abertura: Estevam Pereira, sócio-diretor da report sustentabilidade
 
9h10 - Soluções inovadoras para o mercado de construção (Camila Lourencini, gerente de estratégia da indústria da construção para América do Sul da BASF)
 
9h30 - Case MRV: Como estruturar a estratégia de sustentabilidade
 
10h - Coffee break
 
10h30 - Impactos Socioambientais do Setor da Construção Civil [segmento imobiliário] (​Carla Stoi​cov, sócia Tistu)
 
​11h30 - Perguntas e respostas
 
12h - Encerramento​

 

Por dentro do estudo

Com a participação de 20 empresas brasileiras ligadas à construção civil, o estudo apresenta uma matriz de impactos do setor, identifica desafios do mercado (eficiência energética e hídrica, diferenciais socioambientais, resíduos, saúde e segurança e emissão de gases de efeito estufa) e traz informações sobre como as empresas estão gerenciando esses efeitos, além de apontar boas práticas, pontuais ou estruturadas.
 
+ Leia mais aqui!

 

 
 
 
 
7 de Maio de 2015

Report: notícias

mobilidade urbana em discussão no RJ

As estratégias que as empresas vêm adotando em busca de uma mobilidade mais racional e sustentável foram o mote do workshop Mobilidade Urbana, organizado pela Report em parceria com a SulAmérica e o Instituto Ethos. Realizado na tarde de ontem (6) no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro, o evento promoveu apresentações e debates com representantes de empresas como Petrobras Distribuidora, o consórcio Invepar, Dataprev, Embratel, SOS Odonto e a própria SulAmérica, além de membros do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e das organizações não-governamentais Rio Eu Amo Eu Cuido e Agência de Notícias das Favelas, além de pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O workshop integra os esforços da Report para entender os desafios atuais e futuros da mobilidade urbana e oferecer soluções integradas para as empresas. “Já passou da hora de a mobilidade ser considerada na gestão de sustentabilidade das corporações”, afirmou Álvaro Almeida, sócio-diretor da Report, na abertura do evento.

Ronaldo Balassiano, professor e pesquisador de Engenharia dos Transportes da UFRJ, fez a primeira apresentação da tarde, delineando as mudanças previstas na mobilidade urbana do Rio de Janeiro no contexto da preparação para os Jogos Olímpicos de 2016. Novos corredores de ônibus expressos, a inauguração do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e a integração entre modais são alguns dos destaques. "Os Jogos Olímpicos de 2016 devem ser um ponto de partida para um processo transformador para os transportes públicos da cidade", disse Balassiano.

Em seguida, Reginaldo Magalhães, presidente do Uniethos, detalhou o estudo “Desafios e estratégias empresariais para mobilidade sustentável”, realizado em parceria com o Instituto Invepar.  Ao mapear e quantificar impactos positivos e negativos da mobilidade sobre o desempenho das empresas, a ideia é mostrar que podem surgir oportunidades de negócios ligadas ao tema. “É o momento de as companhias incluírem a mobilidade em suas propostas de valor”, declarou Magalhães.

Já Maurício Born, consultor especializado em mobilidade, falou sobre o programa-piloto desenvolvido em conjunto com a Report para a Serasa Experian. Foram mapeados os métodos de deslocamento e as distâncias percorridas pelos funcionários; os dados fundamentaram um conjunto de recomendações e políticas internas para otimização dos deslocamentos da equipe (leia mais sobre o projeto aqui).

No encerramento, os participantes se dividiram em três grupos e discutiram soluções focadas em três temas específicos: redução da quantidade de deslocamentos, flexibilização de viagens e de atividades e o incentivo a transportes mais sustentáveis. Entre os tópicos levantados, a busca de formas lúdicas para estimular o compartilhamento de meios de transporte e ideias para incorporar o conceito de trabalho remoto à cultura das empresas. 

 
 
 
 

Pages

Subscribe to Blog